Esqueça FTP!

Esqueça FTP!

FTP significa File Transfer Protocol. Em português: Protocolo para Transferência de Arquivos. Nos anos 90 estava fortemente presente nas agências e empresas de desenvolvimento de sites. Ganhou força com o surgimento de linguagens interpretadas e voltadas para web como PHP e ASP as publicações geralmente passavam direto do computador do desenvolvedor para produção sem escalas.

Naquela época, desenvolvimento sem versionamento e sem ambientes de testes era muito comum. O sujeito acabava uma alteração e transferia o arquivo modificado direto no servidor de produção. Dessa forma totalmente “hardcore” de fazer entregas, qualquer descuido gerava grandes dores de cabeça. Um arquivo muitas vezes era substituído por outro com bug, sem direito a rollback(desfazer). Outras vezes um diretório era excluído acidentalmente. Um funcionário descontente e mal intencionado poderia apagar tudo.

Apesar dos conceitos de Continuous Integration, Continuous Delivery e Continuous Deployment também surgirem na mesma época da popularização da Web, principalmente com as práticas de XP(eXtreme Programming), entregas manuais pareciam mais fáceis e seus danos e efeitos colaterais eram ignorados. O CVS(programa de controle de versão) não era tão popular. Programas como Filezilla e FireFTP fizeram sucesso até os anos 2000.

O surgimento do GIT, criado por Linus Torvalds, facilitou e ajudou a popularizar o gerenciamento de código fonte. Depois as grandes empresas de repositório de código, como GitHub e BitBucket e as grandes plataformas de Cloud, como Google, AWS e Azure praticamente sepultaram o FTP para a finalidade de entrega. Simplesmente não faz mais o menor sentido. Virou sinônimo de amadorismo. No momento em que os métodos ágeis e as práticas de devops fizeram o favor de forçar a introdução de técnicas de testes, de automações, inspeção e qualidade de código passamos a ver e ouvir com mais frequência casos de sucesso de empresas que fazem centenas de entregas por dia.

Deixemos o passado no passado. É hora de revolucionar. Se não sabe por onde começar, a empresa Mesa Virtual pode ajudar.

Please follow and like us:
0 Comments

Add Your Comment: